Saltar os Menus

Notícias

2 de Abril de 2018

DOCUMENTO EM DESTAQUE

Não foi pacífica a entrada de Portugal na I Primeira Guerra (1914-1918). A pressão exercida pela Inglaterra (velha aliada) e França originou se criasse, em 1916 uma Divisão de Instrução em Tancos. A 18 de Janeiro de 1917 foi enviado, para França, o primeiro contingente – Corpo Expedicionário Português constituído por 55.000 homens. Os primeiros contingentes foram transportados em 9 navios (7 britânicos e 2 portugueses – “Gil Eanes” e “Pedro Nunes” Em 1918, durante a Primavera, vários ataques da Alemanha culminam a 9 de Abril com a batalha de La Lys, derradeira para o exército português. O Armistício a 11 de Novembro e a assinatura do Tratado de Paz de Versalhes a 28 de Junho de 1919.Intervenção – Tancos – Norton de Matos – CPE – La Lys

Algumas dessas controvérsias deram azo à publicação em jornais que geraram entre os interlocutores situações gravosas. De registar, os escritos pelo Abade que se viu ameaçado de morte devido às opiniões emitidas sobre a decisão de Portugal “Entrar na Guerra?” De quatro manuscritos acerca do tema apenas um foi publicado no “Legionário de Bragança” em 15 de Outubro de 1915. (Ver Artigo publicado pelo Dr Hirondino Fernandes – Revista Brigantia nº 6 – 1/3pp. 130-8 , Bragança, 1986). PT-ADBGC-PSS-FMA.pdf

 

Esta notícia foi publicada em 2 de Abril de 2018 e foi arquivada em: Documento em destaque.

Comente esta notícia