Saltar os Menus

Notícias

2 de Julho de 2018

DOCUMENTO EM DESTAQUE

500 Anos da Santa Casa da Misericórdia de Bragança

A fundação das Irmandades da Misericórdia em Portugal deveu-se à iniciativa da rainha D. Leonor, viúva do monarca D. João II, num dos momentos em que esteve como regente do reino. Distanciando-se das suas congéneres europeias, a adoção e prática das designadas “Obras de Misericórdia” – num conjunto de catorze, com uma subdivisão equitativa entre espirituais e corporais, que nos dias de hoje se continuam a respeitar.

O rei D. Manuel I reconhecendo a importância desta diligência para o plano assistencial, incentivou a criação de Misericórdias por todo o país. Estas instituições integrando a sua ação na doutrina católica, com uma natureza jurídica civil, adquiriram um papel determinante na envolvência dos leigos e controle régio, neste plano, para a sua comunidade. Um papel e ligação que trespassou centúrias.

Com Compromisso dado por D. Manuel I, a 06 de julho de 1518, institui-se na igreja dedicada ao Espírito Santo, a Irmandade da Santa Casa da Misericórdia de Bragança. Anos volvidos, em 1641, D. João IV reforçaria os privilégios e isenções desta Santa Casa, equiparando-os à irmandade lisboeta.

No âmbito das comemorações dos 500 Anos da Santa Casa da Misericórdia de Bragança, o Arquivo Distrital de Bragança destaca como documento do mês de julho de 2018, o compromisso de 08 de julho de 1856.  ADBGC-MIS-SCMBGC-000303-MÇ 98

Esta notícia foi publicada em 2 de Julho de 2018 e foi arquivada em: Documento em destaque.

Arquivo Distrital de Bragança